Sobre o Projeto Jogo Cego:

O filme JOGO CEGO conta histórias de esportistas com deficiência visual. Entre as competições e a tensão do dia a dia, atletas revelam rotinas, sonhos e uma visão de mundo que não difere das demais pessoas.

Os atletas demonstram que a falta da visão não passa de uma limitação, dentre tantas que todo ser humano possui, mas que não os impedem de viver suas vidas em plenitude e de modo independente.

Exibição:

Obra produzida com verba pública, por meio da lei do Proac-ICMS do Estado de São Paulo, realizada com verba deduzida do ICMS das empresas que nos patrocinaram: OJI PAPÉIS ESPECIAIS, FERRACINI CALÇADOS e EXATOS TRANSPORTES URGENTES.

Por este motivo os autores decidiram liberar sua  exibição  dentro do território brasileiro até Março/2020.

Um Breve Histórico do Filme, por Erick Monstavicius:

Este projeto vem de longe... em 2007 eu e o Cleber Zerbielli (meu parceiro profissional e grande amigo) recebemos um convite para gravar os “Jogos Mundiais Para Cegos”, praticamente as vésperas do evento. Sem saber exatamente qual seria o resultado final, preparei um roteiro às pressas a partimos para algumas diárias de captação de imagens e entrevistas.

Foi um momento de um aprendizado grande. Nunca havia tido muito contato com pessoas com deficiência visual e vivenciei na prática o desconhecimento sobre a falta de visão. Me dei conta de tudo o que as pessoas com deficiência visual podem fazer, mesmo com suas limitações, e passei a me questionar sobre as minhas próprias limitações. No fundo, hoje eu vejo uma pessoa com deficiência visual como idêntica a mim, eu com minhas limitações e ela com as delas.

Depois de feitas estas diárias montamos um teaser em 2008 e passamos a pensar como poderíamos transformar aquilo em uma obra. Em um primeiro momento pensamos em buscar apoio de alguma ONG internacional, mas logo depois percebemos que o caminho mais natural seria buscar auxílio em alguma lei de incentivo a cultura. Em 2009 conseguimos aprovação do projeto pelo ProAC e estava tudo caminhando bem, mas esbarramos em um detalhe: patrocinadores – ou a falta deles. Em um primeiro momento pode parecer que nenhuma empresa iria perder a oportunidade de participar de um projeto como o JOGO CEGO, onde ela iria simplesmente deduzir sua contribuição do ICMS que deveria ser pago, mas... não foi bem assim. Terminou o prazo de captação de recursos e nenhum patrocinador veio bater na nossa porta.

Já estávamos no final de 2010 quando percebemos que teríamos que começar do zero. E mais ainda: se quiséssemos ter um material moderno teríamos que regravar tudo! Impressionante como houve um salto tecnológico entre 2007 e 2010. Nós havíamos gravado as diárias em 2007 com uma DVX-100 (com um adaptador para obter uma janela de exibição 16:9!) e no final de 2010 já era comum a produção com câmeras DSLR de lente intercambiável que gravavam em 1080p.

Precisávamos nos planejar novamente se quiséssemos que o JOGO CEGO realmente se tornasse uma obra moderna e relevante para a sociedade. E levamos os anos de 2011 e 2012 neste planejamento, estudando equipamentos e lentes, fazendo reuniões prévias com possíveis patrocinadores, mantendo contato com alguns atletas, reformulando o projeto.

A aprovação definitiva da Secretaria de Cultura veio apenas em 2013! Mas já contávamos com 03 empresas parceiras que acreditaram no nosso filme e nas quais não posso me furtar de citá-las: a OJI PAPÉIS ESPECIAIS, a FERRACINI CALÇADOS e a EXATO TRANSPORTES URGENTES. Pessoas como a Teresa, Annelise, Heder, Sandra e Rubens nos deram o apoio e a tranquilidade para que pudéssemos fazer o que todo cineasta precisa: se concentrar em sua obra e em seu filme.

Começamos a gravar em maio de 2014, praticamente 07 anos depois do nascimento do projeto. A primeira diária foi em Valinhos/SP, entrevistando o André Meneghetti, nadador que já havíamos entrevistado naquela época dos “Jogos Mundiais”.

Quando estava no carro, na estrada, indo gravar as primeiras imagens de um filme que já sabíamos que seria feito dentro das condições que desejávamos, tive uma sensação maravilhosa. Minha luta para fazer cinema não havia se iniciado em 2007, mas antes, em 2004, quando larguei a segurança de meu emprego para estudar e fazer cinema profissionalmente. Este dia representava o cumprimento do que me propus: fazer cinema no Brasil, um pais onde 80% dos filmes são dos EUA, 15% da Globofilmes e o resto... para o cinema independente, onde dentro deste cinema independente há grande nomes, com décadas de estrada. E aqui estamos nós, eu e Cléber, requisitando nosso lugar ao sol neste escasso espaço.

Por isto que cada espectador que assiste ao JOGO CEGO e cada pessoa que compartilha este filme é uma vitória para cada um de nós. Uma vitória tanto para estes personagens surpreendentes, que vivem suas vidas em plenitude apesar das dificuldades e limitações impostas pela deficiência visual, como uma vitória de cada pessoa que, com sua contribuição, ajudou para que este filme se tornasse realidade. Muito obrigado a todos vocês.

Teaser 1 - André Meneguetti

Teaser 2 - Alex Oliveira

Teaser 3 - Audiodescrição

Filme "JOGO CEGO"[LANÇAMENTO 2015]

Este Filme tem o Apoio de:

ProacSP

ProacSP

OJI PAPÉIS ESPECIAIS

OJI PAPÉIS ESPECIAIS

FERRACINI

FERRACINI

EXATO TRANSPORTES URGENTES

EXATO TRANSPORTES URGENTES

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO